Juros e financiamento imobiliário: quais são as perspectivas para 2021?

Veja quais são as previsões para a Taxa Selic ao longo de 2021 e os impactos para os financiamentos imobiliários

Imagem: Pixabay no Pexels 

 

Assine a newsletter
da Universidade Trisul

 

O ano de 2021 já começou com a intensificação da pandemia, diversas capitais em lockdown e a Taxa Selic com um aumento. E quais são os impactos destas variáveis no setor da construção civil, em especial para o mercado imobiliário?

No post de hoje vamos ver quais são as previsões para a Taxa Selic ao longo de 2021 e os impactos para os financiamentos imobiliários.

O panorama do setor da construção civil no Brasil

O setor da construção civil tem um papel relevante e impactante na economia brasileira, por exemplo em relação à geração de emprego. 

 

Mesmo com toda a retração gerada pela pandemia, além do aumento exagerado no preço dos insumos e do desabastecimento, esse setor conseguiu ter alguns índices positivos. 

 

Por exemplo, em janeiro de 2021, a Construção Civil gerou 43.498 novos postos de trabalho com carteira assinada. Ou seja, o segundo melhor resultado para um mês de janeiro nos últimos 30 anos.

 

É importante destacar que todos os segmentos da Construção Civil apresentaram resultados positivos, tais como: 

  • Construção de Edifícios: 18.905 novos empregos;
  • Serviços Especializados para a Construção: 12.978 vagas;
  • Obras de Infraestrutura: 11.615.

E o que isso significa? Que o setor da construção civil, até então, está em crescimento. Mas qual é a previsão para a taxa básica de juros (Taxa Selic), uma das variáveis com influência direta para este mercado?

 

Taxa Selic em 2020 e impactos para o setor

Ao longo do ano de 2020, o Comitê de Política Monetária (Copom) foi diminuindo a Taxa Selic até atingir o menor patamar de toda a sua história em agosto, de 2,0% ao ano (fonte: Banco Central do Brasil).

 

E isso trouxe grandes impactos para a construção civil: de acordo com a Câmara Brasileira da Indústria de Construção (CBIC), em 2020 as vendas de apartamentos novos apresentaram incremento de 9,8% em relação a 2019. Esse resultado pode ser justificado por três pontos principais:

  • incremento do financiamento imobiliário; 
  • taxa de juros em baixo patamar;
  • novo significado que a casa própria adquiriu em função da pandemia. 

 

Além disso, como o processo produtivo da Construção Civil é longo, os efeitos positivos dessas vendas no mercado de trabalho devem aparecer no transcorrer do ano de 2021. 

 

Taxa Selic 2021: previsões e outros indicadores

Desde 2015 a Taxa Selic estava em um trajeto de queda. Porém, na segunda reunião de 2021, apresentou um aumento, saindo de 2% ao ano para 2,75%. 

 

A Câmara Brasileira da Indústria de Construção (CBIC) pontua que as projeções de analistas de mercado indicam que a Selic poderá encerrar 2021 entre 4% e 5%. 

 

E como isso afeta o mercado imobiliário? No geral, aumentos da Taxa Selic têm o potencial de impactar as taxas cobradas nos empréstimos imobiliários, piorar as condições de crédito, além de influenciar, negativamente, a atratividade do setor para investimentos. 

 

Outros indicadores para final de 2021

Já de acordo com o Relatório Focus (divulgado pelo Banco Central), há as seguintes projeções para o fim de 2021 sobre os principais indicadores que impactam a economia brasileira:

  • Taxa Selic: 4%;
  • Meta da inflação: 3,75%;
  • PIB: crescimento de 3,29%;
  • Dólar: R$5,05.

Financiamento imobiliário: expectativas

A Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip) mantém-se muito otimista: há uma confiança de que o mercado imobiliário terá um desempenho saudável em 2021.

Esse mercado fechou o ano de 2020 com alta de lançamentos, vendas, faturamento e lucro. Para 2021, a expectativa é que as vendas de imóveis se recuperem rapidamente após a reabertura dos estandes, assim como aconteceu no ano passado.

Esse otimismo advém, principalmente, em relação aos juros baixos do crédito, que estimulam a compra de imóveis como moradias ou investimentos. Mesmo com o início do ciclo de alta da Taxa Selic, os juros do financiamento devem permanecer abaixo da média histórica ao longo deste ano.

 

Nova linha de financiamento

Caixa Econômica Federal lançou uma nova linha de crédito para o financiamento da casa própria, que é corrigida pela caderneta de poupança, acrescida de uma taxa fixa que varia conforme perfil do cliente.

 

O Crédito Imobiliário Poupança CAIXA é um produto pós-fixado onde a TR corrige o saldo devedor dos contratos, não compondo a remuneração de juros cobrados mensalmente. Dentre as linhas de financiamento disponíveis, esta nova opção da Caixa pode ser extremamente atrativa para determinados perfis de clientes. 

 

É um bom momento para financiar um imóvel?

Os especialistas pontuam que, mesmo com uma possível alta da taxa Selic, os juros do financiamento tendem a oferecer condições especiais. Com a diversificação das linhas de crédito, a população com mais dificuldade financeira também pode aproveitar essas condições especiais.
 

Outro ponto para destacar são as condições menos favoráveis para um aluguel. Em 2020, o IGP-M teve um aumento de 23%.

 

Por isso, é importante aproveitar essas condições especiais do primeiro semestre de 2021 e escolher a linha de financiamento mais adequada para cada necessidade. 

Gostou do nosso post? E que tal continuar atualizado sobre o mercado imobiliário e, as tendências para a construção civil e ações para uma maior sustentabilidade? Acompanhe sempre nossos posts aqui na Universidade Trisul.