Combatendo o coronavírus: conheça as boas práticas para a construção civil

Como adotar boas práticas de proteção ao trabalhador da construção civil durante a pandemia

 

  

Desde o início da pandemia do coronavírus, muitos estados já reconheciam a construção civil como atividade essencial, ou seja, que poderia continuar em andamento mesmo com as medidas restritivas. Com o Decreto Federal 10.342/2020 de 7 de maio, o governo federal formaliza esse entendimento.

 

Porém, mesmo com tais medidas positivas por parte dos decretos estaduais, a indústria da construção civil teve o seu menor índice de utilização da capacidade operacional (UCO) desde o início da série histórica (janeiro de 2012) divulgado pela Sondagem da Indústria da Construção da Confederação Nacional da Indústria (CNI). A UCO chegou a 50% em abril e essa ociosidade deve permanecer enquanto durar o isolamento social.

 

Porém, para garantir a saúde de todos os envolvidos, é necessário que as obras criem práticas ainda mais severas, tanto de higiene quanto de conscientização. E para proteger a saúde do trabalhador, no post de hoje vamos trazer diversas boas práticas que estão sendo adotadas na construção civil.

 

Boas práticas para a construção civil: enfrentamento ao coronavírus

Manter as atividades em funcionamento é um grande desafio, ainda mais quando se fala em canteiro de obras onde a concentração de pessoas é uma realidade. Porém, com muita responsabilidade e seriedade, é possível criar um ambiente muito seguro para os trabalhadores. 

 

As construtoras e incorporadoras estão intensificando as suas ações de segurança e saúde do trabalhador nos canteiros como, por exemplo, a instalação de marcações no piso para assegurar um maior distanciamento entre os operários, assim como a instalação de um maior número de lavabos equipados com sabão líquido, álcool em gel e papel toalha. A Câmara Brasileira da Indústria de Construção (CBIC) está disseminando orientações com boas práticas para o setor, tais como:

  • a medição diária da temperatura do funcionário desde sua chegada ao trabalho; 
  • reforço na rotina de higienização dos ambientes, com maior repetição dos procedimentos;
  • redivisão dos turnos de trabalho e reorganização de refeitórios e demais ambientes para evitar aglomerações. 

 

O Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP) publicou um Guia do Trabalhador da Construção Civil para ajudar os trabalhadores da construção e seus familiares a preservarem sua saúde durante a pandemia. 

 

Dentre os pontos que são destaque, têm-se:

  • Cuidados específicos no canteiro de obras;
  • Higienização dos EPIs;
  • Uso de máscaras de proteção facial;
  • Cuidados com a saúde bucal;
  • Cuidados que devem ser adotados durante os trajetos;
  • Cuidados em casa;
  • Boa alimentação;
  • Preservação da saúde mental.

 

Cartilha traz orientações

A CBIC também criou uma Cartilha com as principais informações e alertas.

 

Prevenção da disseminação do vírus no ambiente de trabalho

A Cartilha orienta sobre medidas de higienização e o estímulo à ventilação cruzada dos ambientes, além de priorizar as janelas abertas, pois o coronavírus pode se espalhar com maior facilidade em ambientes fechados e com muitas pessoas. 

 

Medidas para conter a erradicação do vírus

Uma outra sugestão é priorizar a comunicação, sempre que possível, via recursos tecnológicos como reuniões online por Skype, Zoom, dentre outros. Também é importante disciplinar a circulação de pessoas não relacionadas ao trabalho.

 

Relações trabalhistas

Para empregados pertencentes aos grupos de risco, a orientação é para que sejam colocados no sistema de home office ou que haja liberação para férias remuneradas. Caso não seja possível, sugere-se que empregado deva ficar em casa, dispensando-o de suas funções laborais, neste período de pandemia. 

 

Sugere-se também que se faça um levantamento dos empregados que têm direito a férias individuais e, se possível, concedê-las de imediato. Uma outra sugestão é a adoção de turnos diferentes e intercalados para organização da atuação dos empregados. 

 

Medidas informativas

Além das sugestões sobre medidas mais concretas, a Cartilha também pontua sobre a importância da disseminação de informações, seja através de avisos, cartazes, placas, folhetos, ilustrações, mensagem por e-mail, WhatsApp, dentre outras. O foco é a conscientização dos colaboradores. 

 

Percebe-se, entretanto, que há toda uma preocupação por parte do setor da construção civil de salvaguardar as atividades, mas sem descuidar da saúde dos seus colaboradores. 

 

Quer continuar atualizado sobre as inovações e tendências para a construção civil? Acompanhe sempre nossos posts aqui na Universidade Trisul.