Pesquisa aponta que 60% dos consumidores já se familiarizam com o tema ‘sustentabilidade’

Entre as categorias analisadas, a de comidas e bebidas foi a que se saiu melhor

 

 

 

Assine a newsletter
da Universidade Trisul

 

 

O aumento de consciência do brasileiro em relação à sustentabilidade está cada vez mais evidente. A preocupação com a aplicação de conceitos de sustentabilidade nos negócios chegou a diversos setores – de acordo com um recente estudo realizado pelo IBV (Institute for Business Value), vinculado à IBM, nove em cada dez empresas afirmaram que vão trabalhar em iniciativas de sustentabilidade até o final de 2021.

No relatório “A última chamada para a sustentabilidade”, 1.900 executivos globais de empresas de varejo e bens de consumo foram entrevistados. Ao mesmo tempo em que a maioria quer mostrar ao mercado que está focada em se adequar a uma economia mais limpa, menos de um terço dos respondentes definiram formas de medir suas metas de sustentabilidade.

Já de acordo com o Capterra, dados revelam que a maioria dos consumidores brasileiros parece aprovar o preço dos produtos sustentáveis: 47% concordam de alguma maneira que o preço é justo e 23% concordam plenamente com esta afirmação. Os produtos que as pessoas estão mais dispostas a pagar mais pelo quesito sustentabilidade são, de acordo com a pesquisa, comida e bebida (80%).

Em segundo lugar vem as roupas (58%) e em terceiro os produtos de beleza e bem-estar empatados com os eletrônicos (ambos com 51%). Em recente pesquisa mais da metade (60%) dos entrevistados se define como familiarizado com o conceito de sustentabilidade, 37% se dizem pouco familiarizados e 3% afirmam que nunca ouviram falar do tema. No entanto, essa familiaridade varia de acordo com o espectro social, já que a pesquisa revelou que quanto maior o salário, mais conhecimento sobre o assunto o consumidor tem.

A última edição da “Pesquisa sobre vida saudável e sustentável”, feita pelo Instituto Akatu em parceria com a consultoria GlobeScan, revelou que saltou de 69% para 81% a parcela de brasileiros cuja percepção de que “o que é bom para cada um nem sempre é bom para o meio ambiente”. Já o estudo “SAE Mobilidade – Edição 2021” aponta que a maioria dos consumidores brasileiros gostaria que os veículos elétricos estivessem disponíveis no mercado. Além disso, uma pesquisa feita pelo Ipec durante a pandemia, a pedido da Sociedade Brasileira Vegetariana, mostra que 46% dos brasileiros não comem carne por vontade própria ao menos uma vez por semana, destacou o Um só Planeta.

Ainda segundo os dados do Capterra, 7 a cada 10 brasileiros, ou 78%, dizem que as ações sustentáveis de uma empresa influenciam, em algum nível, suas escolhas de produtos ou fornecedores.

A plataforma está preparando uma série de pesquisas sobre sustentabilidade e a primeira delas, com foco em consumo, realizou 703 entrevistas em todas as regiões do Brasil entre os dias 10 e 16 de agosto de 2021.”Notamos que, mais consciente e preocupado com sustentabilidade, o consumidor brasileiro tem sido coerente com seus posicionamentos ao realizar compras. Esse comportamento pode indicar que, aos olhos dos clientes, as empresas passarão cada vez mais a serem avaliadas por suas práticas em relação à sustentabilidade”, afirma Marcela Gava, analista responsável pelo estudo.

Para além do consumo, a pesquisa mostrou ainda que as ações de sustentabilidade de uma empresa também têm influência na motivação dos profissionais em se candidatar para uma vaga de trabalho. De acordo com o Capterra, 73% dos entrevistados demonstraram, em algum grau, se sentirem influenciados por essas medidas.

 

Por: Redação Planeta Campo