Mitos e verdades sobre a energia solar

Entenda quais são os principais mitos sobre a energia solar e veja quais são as verdades sobre este tipo de energia renovável que está sendo cada vez mais disseminada no Brasil

Imagem: Sebastian Ganso em Pixabay

 

Assine a newsletter
da Universidade Trisul

 

O Brasil tem, atualmente, 83% de sua matriz elétrica originada de fontes renováveis. Essa participação é distribuída da seguinte forma (Fonte: Governo Federal, 2020): 

  • Hidrelétrica: 63,8%;
  • Eólica: 9,3%; 
  • Biomassa e biogás: 8,9%; 
  • Solar centralizada: 1,4%. 

 

Apesar de uma participação ainda tímida, a geração de energia fotovoltaica está crescendo bastante e já aparece nos indicadores de geração do país. Para termos uma ideia, comparando os anos de 2018 e 2019 houve um aumento de 37,6% na capacidade instalada, conforme o Balanço Energético Nacional 2020 (BEN 2020). 

 

Por isso, neste post vamos entender quais são os principais mitos sobre a energia solar e ver quais são as verdades sobre este tipo de energia renovável que está sendo cada vez mais disseminada no Brasil. 

 

Contexto legal da energia solar no Brasil

Um importante incentivo para iniciativas mais sustentáveis em relação às fontes de energias foi a Lei 10.438/2002. Através desta lei foi criado o Programa de Incentivo às Fontes Alternativas de Energia Elétrica (Proinfa). 

 

Dentre os seus objetivos, têm-se a promoção da competitividade da energia produzida a partir de fontes eólica, termossolar, fotovoltaica, pequenas centrais hidrelétricas, biomassa, outras fontes renováveis e gás natural.

 

Outro marco foi a Resolução Normativa 482/2012, da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) que criou o Sistema de Compensação de Energia Elétrica. Através dela, permitiu-se a todo consumidor de energia cativo gerar sua própria energia e receber os créditos equivalentes em sua conta de luz, na forma de descontos. 

 

Tem-se também a Resolução Normativa 687/2015 que trouxe alterações na REN 482/2012 que, dentre as mudanças, introduziu a possibilidade da energia solar em condomínios. Ela viabilizou a autorização para os condomínios poderem usar as zonas comuns do prédio para produzir energia solar fotovoltaica

 

Assim, os moradores do prédio passaram a ter a opção de aderirem ao regime de autoconsumo com a instalação de painéis solares. Além disso, faz a distinção em relação a alguns termos:

  • microgeração distribuída: central geradora de energia elétrica, com potência instalada menor ou igual a 75 kW e que utilize cogeração qualificada ou fontes renováveis de energia elétrica, conectada na rede de distribuição por meio de instalações de unidades consumidoras; 
  • minigeração distribuída: central geradora de energia elétrica, com potência instalada superior a 75 kW e menor ou igual a 5 MW para cogeração qualificada ou para as demais fontes renováveis de energia elétrica, conectada na rede de distribuição por meio de instalações de unidades consumidoras.

 

PL 5829/2019

Atualmente, está tramitando o do Projeto de Lei (PL) 5829/2019. O seu objetivo é a criação de um marco legal da Geração Distribuída (GD) no Brasil para trazer segurança jurídica, estabilidade e previsibilidade para consumidores, empreendedores e investidores em energia solar e outras fontes renováveis de pequeno porte.

 

Energia solar: principais mitos e verdades

Com essa expansão da produção e do consumo da energia solar, vêm também dúvidas. Por isso, separamos aqui dois mitos e duas verdades sobre o tema. 

 

Mito 1: Placas solares só servem para esquentar água

Na verdade, existem sim placas solares que só esquentam água. Porém, outras também produzem eletricidade. 

No caso da primeira, é a energia solar térmica que aquece pela radiação solar usando placas metálicas e um reservatório termicamente isolante.

 

Já a segunda, de energia fotovoltaica, transforma radiação solar em eletricidade por meio do efeito fotovoltaico, painéis e inversores solares. Ela será usada para abastecer chuveiros elétricos ou qualquer componente energizado, como iluminação, geladeira, dentre outros.

 

Mito 2: A sua manutenção é muito cara

Falso. A manutenção dos painéis fotovoltaicos é bastante simples, pois eles são fixos (sem partes móveis). Desta forma, requer apenas a limpeza com o uso apenas de pano e água para remoção de sujeiras, sendo que podem ser realizadas somente uma ou duas vezes ao ano.

 

Além disso, nos lugares onde há certa regularidade de chuvas, a necessidade de limpeza é mínima, já que a própria água da chuva já faz esta limpeza. 

 

Verdade 1: Os módulos solares têm vida útil superior a 25 anos

Verdade. Devido ao avanço da tecnologia, atualmente, os módulos solares têm vida útil superior a 25 anos, o que torna o investimento bem atrativo para os consumidores. 

 

Verdade 2: A energia solar traz diversos benefícios

Verdade também. A energia solar traz diversos benefícios, tanto no âmbito econômico quanto ambiental.

 

Além de ser uma fonte de energia mais barata, ela também é geradora de empregos. Além disso, ela também é renovável, ou seja, com mínimos impactos para o meio ambiente.  

 

Em relação à geração de empregos, vale ressaltar que, segundo dados da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), somente em 2021 o setor de energia solar deve gerar mais de 147 mil novos postos de trabalho em todo o país.

 

Gostou do nosso post? E que tal continuar atualizado sobre novas tecnologias, energias renováveis, o mercado imobiliário, dicas, tendências para a construção civil e ações para uma maior sustentabilidade? 

 

Outros posts que podem te interessar:


Continue acompanhando os nossos posts aqui na Universidade Trisul.