Eficiência energética na construção civil: como adotar práticas inovadoras

Entenda como boas práticas e soluções inovadoras podem agregar eficiência no uso de energia e redução de consumo para os novos empreendimentos.

eficiência energética

Assine a newsletter
da Universidade Trisul

 

A utilização racional de energia é conhecida como eficiência energética, que significa o uso menor (ou alternativo) de recursos energéticos para se alcançar o mesmo resultado. Esse tema não é novo, mas a cada ano tem ganhado mais espaço, principalmente quando se fala sobre a indústria da construção civil.

 

Cenário brasileiro: desafios

Quando se analisa alguns números, entendemos a verdadeira dimensão da questão: em 2017, 28,76% de todo o consumo de energia elétrica foi residencial, perdendo apenas para a indústria. Quando se analisa a quantidade de consumidores, a categoria residencial passa para o primeiro lugar, totalizando 85,98% do total (Fonte: Anuário Estatístico da Energia Elétrica). Ou seja, é fundamental adotar práticas criativas e inovadoras de eficiência energética para os empreendimentos, aliando o uso racional da energia elétrica e sustentabilidade financeira.

Etiqueta PBE Edifica foi criada com esse propósito: um selo de conformidade que confirma que a edificação atende a requisitos de desempenho e, no caso de informações relacionadas com eficiência energética, recebe o nome de Etiqueta Nacional de Conservação de Energia (ENCE), com faixas de desempenho que vão de A (mais eficiente) até E (menos eficiente)

 

Benefícios da eficiência energética

Além da questão ambiental e de cumprimento de legislações, há inúmeras razões econômicas que incentivam a construção civil direcionar esforços para boas práticas de eficiência energética.

Sob o ponto de vista das construtoras:

  • Diferenciação em relação à concorrência.
  • Empreendimentos com maior valor de mercado.
  • Maior visibilidade positiva para a empresa.

Sob o ponto de vista dos clientes:

  • Contas de energia reduzidas.
  • Apartamentos e casas mais confortáveis termicamente.
  • Imóveis mais valorizados para a revenda.
  • Maior durabilidade dos empreendimentos, com menor necessidade de manutenção.
  • De maneira geral, melhora na saúde dos habitantes.

Ou seja, é possível aliar eficiência energética com inúmeros benefícios, sejam eles ambientais, financeiros ou de qualidade de vida.

 

Boas práticas energéticas: como inovar na construção

Depois de entendermos os desafios do cenário de consumo de energia no Brasil e como a adoção de práticas de eficiência energética podem trazer inúmeros benefícios, vamos mostrar 6 inovações que podem ser utilizadas na construção de empreendimentos.

 

#1: Painéis Solares

A construção civil já tem aderido a essas práticas, com o objetivo de tornar as construções maior eficiência energética, além de agregarem valor comercial aos empreendimentos. Um exemplo é o conceito de Zero Energy Building.

Como a demanda pela tecnologia de painéis solares tem crescido nos últimos anos, as empresas têm investido para apresentar produtos cada vez mais avançados. Além de se preocuparem com o desempenho (atualmente, variam entre 15 a 19%), há a preocupação também com o design inovador. Para o mercado residencial, há as telhas solares Tesla, com várias texturas e efeitos estéticos distintos.

Outra inovação dentro deste segmento é o revestimento de concreto fotovoltaico, desenvolvido por duas empresas europeia. A película é fina e bastante flexível e tem um desempenho duas vezes superior aos dos painéis solares tradicionais.

 

#2: Ventilação

O controle da temperatura é um outro grande desafio para a construção. Seja em regiões mais frias ou mais quentes, é imprescindível manter uma temperatura equilibrada e agradável para as pessoas. Assim, é fundamental desenvolver projetos que valorizem a ventilação natural para aqueles locais onde é possível explorar, de maneira inteligente essa ventilação, evitando sistemas artificiais. Para essas situações, a ventilação cruzada, a ventilação natural induzida e o resfriamento evaporativo podem ser boas alternativas.

Quando há a necessidade de sistemas artificiais, é necessário dimensionar corretamente a carga térmica dos ambientes.

 

#3: Cobertura

cobertura verde é uma outra forte tendência para a construção. Além de filtrar o gás carbônico, há uma redução acentuada na temperatura do empreendimento, pois absorve o calor. Existem três tipos:

  • Intensivo: capacidade para comportar plantas de médio e grande porte, com uma carga máxima de 500 kg por m².
  • Extensivo: comporta cobertura vegetal rasteira, suportando até 150 kg por m².
  • Semi-intensivo: é um telhado intermediário, com capacidade para plantas de médio porte e suportando, em média, 200 kg por m².

 

#4: Janelas

As portas e janelas têm um papel fundamental em um projeto, tanto em relação à penetração da luz quanto da circulação de ar. Já falamos aqui sobre formas de como usar a ventilação a favor da eficiência energética.

Uma outra possibilidade é a utilização de vidros eletrocrômicos, os vidros inteligentes, que usam a tecnologia de polarização elétrica. Devido a essa tecnologia, eles são dinâmicos e podem ser utilizados para controlar a luminosidade e temperatura, através da função transparente e opaco.

 

#5: Isolamento térmico

Aqui, uma tendência para a construção que visa uma maior eficiência energética é a utilização de Poliestireno Expandido (EPS), que é um material constituído, praticamente, de ar (98%) dentro de estruturas de células fechadas (pérolas de poliestireno). Além de proporcionar maior eficiência energética e acústica, é resistente e apresenta durabilidade, dentre outras características.

 

#6: Elevadores

Um dos maiores responsáveis pela elevação da conta de energia dos condomínios é o elevador. Assim, é fundamental pensar em alternativas para otimizar seu desempenho.

sistema regenerativo pode ser uma excelente opção: é uma tecnologia que faz com que o edifício receba parte da energia devolvida pelo motor de tração do elevador, através do uso da velocidade e carga da cabine.

Há também equipamentos de tração sem engrenagem (gearless) que são máquinas síncronas com motor de imã permanente que também permitem uma maior economia de energia.

 

Para a indústria de construção civil, é fundamental desenvolver, constantemente, novas tecnologias objetivando uma maior eficiência energética dos empreendimentos. Cada vez mais os consumidores estão aumentando seu grau de exigência e consciência sobre a importância da adoção de práticas mais sustentáveis. Além disso, para os estudantes e profissionais da área, a atualização constante acerca desta temática certamente irá colaborar para a diferenciação no mercado de trabalho.

 

Gostou do conteúdo? Cadastre-se para receber nosso Newsletter.

 

Conteúdo: VIBCOM