Biodigestão: uma excelente alternativa de produção de energia sustentável

Iniciativas de biodigestão têm crescido nos últimos anos. Entenda como funciona esta tecnologia, quais são seus principais desafios e benefícios para a sustentabilidade.

biodigestão

 

A produção de energia a partir do lixo pode parecer ficção científica de filmes como “De volta para o futuro”, mas é uma realidade para vários países e que, a cada ano, tem se expandido. A Suécia é um dos países que tem uma política de coleta de lixo bem rigorosa e com excelente aderência por parte da população e das empresas. Uma curiosidade: neste país, o contribuinte paga taxa de recolhimento do lixo proporcional à quantidade gerada. Assim, os cidadãos fazem um grande controle sobre sua própria geração de lixo, tanto pela consciência ambiental quanto pelo impacto financeiro.

Outros países têm investido em inovações na produção de energia a partir do lixo, como é o caso da China, que está construindo a maior usina com esta finalidade. O Brasil também tem sinalizado esforços nesta direção, como a construção de uma usina de biogás no estado do Paraná.

Mas como funciona esta geração de energia a partir do lixo orgânico? Para entender melhor, vamos fazer uma contextualização e entender alguns conceitos.

 

A legislação brasileira e o lixo orgânico

A Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei 12.305/2010) estipulou a necessidade de implantação, pelos titulares dos serviços, “de sistemas de compostagem para resíduos sólidos orgânicos e articulação com os agentes econômicos e sociais formas de utilização do composto produzido”. Assim, a esfera federal pontuou a necessidade da promoção da coleta seletiva em relação a outros tipos de resíduos.

Para se ter uma dimensão da composição dos resíduos urbanos no Brasil, estima-se que 51,4% é composto por matéria orgânica. Apesar deste alto percentual, há poucas iniciativas de reaproveitamento deste tipo de matéria no Brasil. O resíduo orgânico, por não ser coletado separadamente, acaba sendo encaminhado para disposição final, juntamente com os resíduos domiciliares. Do total estimado de resíduos orgânicos que são coletados (94.335,1 t/d9 ) somente 1,6% (1.519 t/d) é encaminhado para tratamento (Fonte: Plano Nacional de Resíduos Sólidos).

 

Biodigestores: entenda seu funcionamento

Os biodigestores são compartimentos fechados nos quais ocorre a decomposição de matéria orgânica, produzindo energia: biogás e biofertilizante. Essa decomposição se chama digestão anaeróbica. A matéria prima utilizada no biodigestor é orgânica e pode ser oriunda de:

  • resíduos de produção vegetal (folhas, palhas, restos de cultura).
  • produção animal (como esterco e urina).
  • atividades humanas (fezes, urina, lixo doméstico).
  • resíduos industriais.

 

Apesar de existirem vários tipos de biodigestores. De maneira simplificada eles são compostos por um recipiente que armazena e permite a digestão da matéria, contendo, no geral: um sistema de entrada do material, um sistema de descarga do efluente (biofertilizante) e um armazenador de biogás (gasômetro).

Assim, os biodigestores são uma alternativa bem simples e eficiente para o melhor aproveitamento do lixo orgânico que, normalmente, são descartados indiscriminadamente no meio ambiente.

 

Alternativas energéticas

Como foi visto, os biodigestores podem gerar dois tipos de energia: o biogás e o biofertilizante. O biogás, por meio de tubulação específica, pode servir para cozinhar, substituir a eletricidade, a lenha ou o gás propano. Já o biofertilizante é um adubo natural e, além de ser rico em nutrientes, ele também ajuda a melhorar o ph do solo, a melhorar a drenagem em determinados tipos de solos.

Desta forma, percebe-se que a biodigestão é uma solução ambientalmente sustentável para diminuir a quantidade de resíduos que são dispostos em aterros sanitários ou dispostos inadequadamente em lixões. Além disso, com a outra grande vantagem de ser um processo relativamente barato e simples, facilmente incorporado em residências, edifícios residenciais, escolas e indústrias, além de gerar subprodutos que possibilitam alternativas energéticas.
A Trisul tem mais de 30 anos de experiência e mais de 200 empreendimentos entregues, sempre atuando de maneira integrada ao ambiente e aderente às normas mais exigentes, tanto nacionais quanto internacionais. Assine nosso newsletter e acompanhe nossas dicas e posts sobre o mundo da construção civil e sustentabilidade.

 

 

 

Conteúdo: VIBCOM