Sistema Matrix: inovação em busca da excelência na construção civil

O Sistema Matrix foi desenvolvido para otimizar os trabalhos de argamassas básicas no canteiro de obras.

sistema matrix

 

A procura por soluções e tecnologias inovadoras está na pauta diária de todas as áreas e segmentos do mundo inteiro. No Brasil não é diferente. E a construção civil mostra que está mais do que atenta aos métodos que proporcionam mais praticidade e efetividade. O Sistema Matrix é um bom exemplo da busca pela excelência no canteiro de obras.

O Matrix armazena, mistura e bombeia argamassas básicas de um jeito rápido e simples, que promove produtividade e homogeneização da qualidade do material em obra. Ele foi desenvolvido pela Votorantim Cimentos para otimizar a logística da obra e baratear custos, entre outros fatores.

“Com esse sistema, precisamos de um espaço menor para estocar os materiais, já que eles ficam em silos. Os ensacados têm um limite na altura e quantidade de sacos que podemos empilhar, ocupando uma área bem maior”, afirma Gustavo Mouro, engenheiro da Trisul.

“Uma das características desse sistema é o bombeamento vertical e, com isso, a otimização de recursos de equipamentos em canteiros de obras, como elevador e cremalheira. Também há o melhor aproveitamento de recursos de mão de obra, uma vez que todo processo de recebimento, armazenamento, transporte e mistura é feito pelos equipamentos”, explica Charles Barroso, consultor de operações da Votorantim, criadora do Sistema Matrix.

O silo é onde fica armazenado a argamassa básica Matrix. Ele comporta até 30 toneladas de produto e ocupa apenas 9 m² no canteiro de obra. Atrelado ao silo, há o sistema de bombeamento, que envia o produto ainda seco para qualquer parte da obra, tanto no sentido horizontal quanto no vertical, e não tem limitação de altura.

Já o misturador especial, com as configurações de pás ideais e garantido a eficiência da mistura, fica no andar de utilização do produto. Ele adiciona a água necessária à argamassa, fazendo a mistura à medida que vai utilizando-a. Portanto, é possível misturar o produto no mesmo local em que será usado, sem desperdício de material.

sistema matrix


Tipos de obra

“O Sistema Matrix pode ser indicado para qualquer tipo de obra, mas ao meu ver, ele é muito interessante para obras com necessidade de produtividade alta, pois você não depende de elevador, que sempre é muito disputado e pode dar problemas, além de parar para manutenção. Com o silo, você não depende de nada disso. Seu trabalho continua normalmente”, ressalta Augusto Dall Agnol, proprietário da Inova Reboco.

A facilidade e melhoria concebidas pelo Sistema Matrix, além dos portes dos empreendimentos da Trisul serem todos bem grandes e terem espaço para instalar o silo, fizeram com que a empresa o utilizasse em todas as suas obras: no Gaivota, Place Madalena, Expande Vila Mariana, Latitude Aclimação, entre outros.

No momento, a construtora está utilizando o Sistema Matrix na obra Royal Alto do Ipiranga, em São Paulo. O empreendimento residencial possui 21 pavimentos e a partir do terceiro pavimento, encontram-se 19 andares de apartamento. A obra foi iniciada em setembro de 2017 e tem previsão de entrega para agosto desse ano.

A parceria da Votorantim com a Trisul, de acordo com Mouro, é muito tranquila e facilita o uso do sistema em obra. “A Votorantim Cimentos vem ao canteiro e explica tudo que é necessário para que não tenhamos problemas. Explica desde a distância que o silo precisa ficar da calçada, o quanto ele consegue bombear, a base que temos que fazer para colocá-lo em cima, a alimentação elétrica e de água para fazer o sistema funcionar”, destaca.

Para obras verticais e com um volume de argamassa grande, o sistema Matrix se torna mais barato. Ele tem uma capacidade de produzir em torno de 2.000 kg/hora de argamassa pronta para ser aplicada e o silo tem capacidade de armazenar até 25 toneladas aproximadamente. Ou seja, obras pequenas e algumas obras horizontais acabam não compensando pelo custo.


Economia e Custos

Para a construtora Trisul, o Sistema Matrix fez diferença, principalmente, na geração de economia. “A aplicação do sistema fez sentido a partir do momento em que a gente não precisava mais usar o elevador cremalheira para subir a argamassa como usávamos antes”, explica Gustavo Mouro.

O elevador cremalheira, além de exigir um ajudante, gastava muita energia ao ser utilizado. A energia exigida era em torno de 60 Kilovoltampere (kVA), enquanto com o Sistema Matrix, a utilização de uma bomba exige apenas 15 kVA. “Além desse ponto, não tem o custo com o ajudante e faz o mesmo trabalho, só que em bem menos tempo”, ele complementa.

O engenheiro da Trisul ainda lembra que o Sistema Matrix tem mais uma vantagem com relação ao ensacado, que é a diminuição da perda de material. “Era comum vermos sobras dentro dos sacos de argamassa de material, sacos que rasgavam e nem sempre um inteiro era necessário para finalizar o serviço. Agora é possível produzir apenas o necessário, sem perda no transporte ou após a utilização do material”, diz


Inovação tecnológica

Na opinião de Gustavo Mouro, a inovação tecnológica impacta quase todos os sentidos, desde a parte ergonômica, já que é um equipamento que faz o transporte do material e não mais um ser humano, diminuindo o risco de um colaborador ter um problema de saúde futuramente.

“A inovação também ajuda na parte da sustentabilidade, já que temos uma diminuição do desperdício de material, ajuda no aumento da qualidade das nossas obras, pois é um robô que faz a dosagem e a mistura da argamassa, auxilia na economia dos custos de obra e assistência técnica, nos tornando ainda mais competitivos no mercado da construção civil com relação à maior parte dos nossos concorrentes”, ele afirma.

sistema matrix


Confira alguns benefícios do Sistema Matrix:

– Maior controle de estoque e redução da área de estocagem;

– Garantia de qualidade, devido ao uso de argamassas industrializadas e da eficiência de mistura;

– Baixo desperdício;

– Armazenamento em silo, mistura adequada na quantidade para utilização e controle de água;

– Não há descarte de sacarias e nem de produto final, ajudando inclusive na pontuação das certificações LEED e AQUA;

– Otimização da mão de obra no recebimento e no transporte dentro da obra, para a mistura, dosagem, e aplicação de argamassa;

– Aumento de produtividade, redução no tempo de descarga do produto, redução na utilização de gruas e cremalheiras e eliminação das limpezas nos mangotes.

– Aplicando a argamassa utilizando o Matrix, chega a ser 30% mais eficiente que o sistema convencional, conforme estudos de caso.

 

Conteúdo: VIBCOM