Como um concreto inovador pode ser tão resistente e maleável

O concreto de Ultra Alto Desempenho (UHPC) possui propriedades excepcionais que podem revolucionar a utilização deste material essencial na construção civil

concreto UHPC

 

O concreto de Ultra Alto Desempenho ou UHPC (ultra high performance concrete, em inglês) é uma inovadora classe de concreto, nano tecnológico, que tem sido desenvolvido nas últimas três décadas por suas propriedades excepcionais de resistência e durabilidade com baixíssima manutenção e amigo do ambiente.

O que diferencia este novo tipo de concreto dos demais é a ausência de agregados graúdos, o que elimina muitos inconvenientes, como índice de vazios entre os agregados e as zonas de transição entre pasta e agregados. Tal situação, no concreto comum, é o elo mais fraco em termos microscópicos.

Outra diferença fundamental entre o concreto UHPC e os concretos convencionais são os excelentes comportamentos reológicos que incluem a trabalhabilidade, propriedades e auto adensamento melhoradas em desempenho mecânico e durabilidade, com alta resistência à compressão e à tração, bem como o comportamento a não-fragilidade.

As aplicações deste tipo de concreto são voltadas principalmente à recuperação de obras de artes, reforço estrutural, construção de estruturas esbeltas, pontes, dentre outras. Esse tipo de concreto é tão durável e resistente quanto as rochas, e a utilização de fibras em sua composição faz com que ele seja uma alternativa ao uso de aço, porém, com a diferença de ter mais facilidade na hora de moldar e também por ter a possibilidade de obter formas e dimensões  variadas.

Segundo alguns especialistas, o uso do concreto UHPC poderá chegar, futuramente, a substituir o concreto armado devido às propriedades efetivas.

Para a construção civil, a chegada do UHPC é vista com excelentes olhos. Apesar de ter um alto custo, as características do material trazem um ganho imensurável à qualidade das obras, elevando ainda mais a vida útil do empreendimento, pois aumenta a resistência à corrosão e à abrasão.

concreto UHPC

Inovação tecnológica e consumo reduzido realçam sustentabilidade

É por excelência o material do “futuro”, largamente comprovado por seu potencial para ser uma excelente solução viável destinada a melhorar a durabilidade de edifícios e outros componentes de infraestrutura. As altas resistências permitem desenvolver estruturas e elementos mais esbeltos com menor consumo. Este menor consumo torna o UHPC um material mais sustentável.

“A nano tecnologia abriu uma “larga avenida” para o contínuo desenvolvimento do UHPC onde, em laboratório, já foral obtidos resultados de resistências superiores a 400MPa comparáveis as resistências dos aços estruturais” afirma o engenheiro especialista em UHPC em aplicações estruturais, Francisco Pedro Oggi, diretor da Empório do Pré-Moldado.

A durabilidade é medida pelo desempenho do material sob condições extremas. Sua compacidade, com baixíssima porosidade, mostrou que a migração de cloretos é extremamente baixa, aumentando sua vida útil resultando em menor custo de manutenção.

Obras em concreto UHPC pelo mundo

O uso do concreto UHPC tem aumentado paulatinamente no mundo, com destaque penetração em todos os países ricos, com destaque para Estados Unidos, Canadá, França, Espanha, Japão e Coreia do Sul.

Entre as obras de destaque que utilizam o concreto de ultra alto desempenho, a passarela da Paz, em Seul, na Coréia do Sul. Inaugurada em 2002, a passarela conta com 120 metros de vão livre e tabuleiro de apenas 3 cm.

 

concreto UHPC

Um dos usos mais interessantes são os elementos pós-fixados em fachadas, que são facilmente moldados em fábricas e colocados aos edifícios com auxílio de fixadores. Sua estrutura esbelta e leve permite essa aplicação.

 concreto UHPC

concreto UHPC

Uso no Brasil ainda é pequeno: custo elevado e falta de interesse são barreiras

O UHPC ainda é muito pouco utilizado no Brasil. Na verdade, toda a América Latina ainda encara como novidade então, é de se esperar uma dificuldade em implementar a solução em países em desenvolvimento.

A produção do material ainda não ocorre em larga escala por seu elevado custo, que acaba sendo uma barreira importante. Algumas especificações do material também dificultam a implementação, como por exemplo, o processo de cura a temperaturas superiores a 90 °C. Caso isso não seja respeitado, a alta qualidade do UHPC pode ser comprometida.

Outro fator técnico também atrapalha uma maior difusão do material. Como esse concreto não conta com um padrão definido de produção – a composição varia de projeto para projeto – encarecendo a mão de obra envolvida. A falta de um padrão definido exige a contratação de pesquisadores para definir o traço do material a ser usado em cada obra.

Além disso, segundo Francisco, o uso do UHPC no Brasil não é tão comum, principalmente, pela falta de interesse. Isso tem sido a maior barreira que implica significativa insegurança, grande lentidão e temor na aplicação de novas tecnologias. Outro motivo relevante é, praticamente, a inexistência de parcerias entre o mercado e o mundo acadêmico, onde o UHPC já é bem conhecido, aponta. “Salientamos, porém, que já existem comissões de norma elaborando normas técnicas sobre o assunto”, completa o engenheiro.

 

Conteúdo: VIBCOM